Esporte / Pará

CLÁSSICO

Para o Leão, domingo será o divisor de águas

Terça-Feira, 19/03/2019, 08:24:33 - Atualizado em 19/03/2019, 09:13:07 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Para o Leão, domingo será o divisor de águas (Foto: Octávio Cardoso)
Técnico Márcio Fernandes quer reeditar bons momentos do Remo (Foto: Octávio Cardoso)

Nas últimas cinco partidas realizadas pelo Clube do Remo no Campeonato Paraense 2019, a equipe conquistou uma única vitória. No mais, foram três empates e uma derrota. A má fase no Estadual iniciou justamente após o tropeço que ocorreu justamente diante do seu maior rival, o Paysandu, na quarta rodada do certame, ao sofrer uma taca por 3 a 0. Neste final de semana, Leão e Papão voltam a se enfrentar pela penúltima rodada da fase classificatória do Parazão e, dessa vez, os azulinos almejam, em cima do adversário, reverter o momento ruim, pois novo resultado adverso complicará a estabilidade na tabela.

 Apesar da liderança do chaveamento e com 15 pontos no total, cinco a mais que o Águia de Marabá, segundo colocado, a falta de triunfos fez com que o Bragantino, terceiro da chave, com 9 pontos, complicasse a classificação do Leão. Desse modo, para atuar pela rodada final tranquilo, o Remo precisa dar o troco no arquirrival e voltar a vencer na competição. O principal obstáculo, no entanto, tem sido a própria equipe.

O topo da tabela não condiz como que tem sido apresentado. Os próprios jogadores se mostram insatisfeitos e confirmam que o grupo oscila com frequência e tem caído de rendimento. “A gente está fazendo a nossa parte. Mas o resultado, os gols não estão saindo. É complicado até comentar, porque não está faltando vontade e trabalho nos treinamentos da nossa parte”, conta o atacante Gustavo Ramos.

Dessa maneira, no lado do Baenão, o Re-Pa será um verdadeiro divisor de águas. A vitória será imprescindível, contudo, se quiser deixar tudo de “boaça” para a décima rodada, o Remo deverá secar o Bragantino, que jogará fora de casa contra o Independente, um dia antes do choque-rei da Amazônia.

Mas, o intuito é depender apenas de si próprio. “Sou uma pessoa vencedora por onde passei, graças a Deus consegui títulos, acessos. Até agora não consegui isso aqui... É levantar o astral e saber que temos um jogo importante no domingo, que possamos reeditar os bons momentos do Remo e ter uma grande vitória”, disse o treinador Márcio Fernandes.


Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

Remo minimiza queda no rival e apresenta zagueiro

No estádio Baenão, o Leão apresentou oficialmente o zagueiro Marcão, último da lista de contratados. O defensor, que chegou a ser relacionado para partida contra o Independente, chega ao grupo para suprir a falta de Mimica, principal referência azulina no setor defensivo. 

Com expectativa de poder estrear justamente no clássico Re-Pa, uma vez que a dupla de zaga não foi bem na rodada passada, Marcão, de 23 anos, veio do Marítimo, de Portugal. “A torcida do Remo, a tradição é muito grande. Espero poder ajudar a ganhar títulos. Se e vou ser titular domingo ou não, depende do Márcio (Fernandes, treinador). Eu vou treinar pra ser titular. Estrear num Re-Pa é muito bom, né?”, destacou o zagueiro.

“Minha ideia é chegar e poder ser campeão e conquistar o acesso à Série B. Só quero fazer o que sei fazer desde pequeno, que é jogar o meu futebol e dar resultado”, pontuou.

LADO RIVAL

Mas não é apenas Marcão que vive a expectativa do clássico Re-Pa. Na semana que antecede a partida, todo o cuidado é pouco, ainda mais agora, que o maior rival demitiu o seu treinador, João Brigatti, a uma semana do embate. 

Mas, para o meia Djalma, que já perdeu a quantidade de quantos clássicos já disputou, a situação não deverá pesar. “A gente não vai se apegar a isso. Saiu o técnico e as coisas vão facilitar pra eles? Eu creio que não. Nós temos que fazer o nosso trabalho, porque vai ser um jogo muito difícil”, disse.

O atleta ainda comentou que o time fará de tudo para que o resultado, agora, seja diferente. “Se a gente entrar focado e com a cabeça boa, sabendo que a gente deve fazer e o que o professor Márcio pedir pra gente, com todo o respeito ao time do Paysandu, a gente vai sair com o resultado positivo”, enfatizou.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL