Esporte / Pará

PLANEJAMENTO

Novo homem forte do futebol bicolor é apresentado

Quarta-Feira, 05/12/2018, 08:15:43 - Atualizado em 05/12/2018, 08:15:43 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Novo homem forte do futebol bicolor é apresentado (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)
Felipe Albuquerque tinha proposta de clubes da Série B, mas gostou do projeto apresentado por Ricardo Gluck Paul. (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)

O Paysandu apresentou, ontem à tarde, oficialmente, o seu novo diretor de futebol, Felipe Albuquerque, de 32 anos, que fará a função de executivo de futebol, conforme já havia adiantado o presidente eleito do clube Ricardo Gluck Paul. O

dirigente desejou sucesso ao novo funcionário bicolor. “Felipe, boa sorte e conte conosco”, disse.

O diretor abriu a coletiva à imprensa lembrando o seus laços de família com o Pará, apesar de ser natural de Goiás, onde vinha atuando no Vila Nova-GO, que esteve, este ano, perto de uma vaga na Série A.

“É uma honra poder estar aqui no Paysandu e retornar à cidade onde passei boa parte de minha infância. Minha avó, que era a pessoa mais importante da minha vida e que faleceu no ano passado, era paraense”, contou Albuquerque. Em seguida, ele falou sobre a responsabilidade que tem de montar, junto com os demais integrantes do departamento de futebol, o elenco do Papão para a temporada vindoura. “Sei do tamanho do desafio. Comprometimento e dedicação estarão todos os dias aqui no clube”, prometeu.

O diretor falou sobre a grandeza do Papão no cenário nacional. “Vejo o Paysandu como um clube gigante e que sendo bem gerido poderá retornar onde ele já esteve”, apontou. Albuquerque declarou ter recebido outras propostas, até mais vantajosas que a feita pelo Paysandu.

“Tive a oportunidade de ir para outro clube, inclusive de Série B, mas não era apenas a divisão que era determinante para a minha escolha, a minha escolha foi muito mais pelo projeto que me foi apresentado”, disse.

Hora de começar a formar o time

 A apresentação do diretor de futebol Felipe Albuquerque desencadeará a temporada de caça de jogadores para a formação do elenco do Paysandu para 2019. O funcionário bicolor informou que até ontem não havia ainda iniciado negociação com os profissionais pretendidos.

“Ainda não começamos a conversar com nenhum atleta porque a gente entende que existem alguns fatores que precisam ser tratados”, alegou. “Acredito que a partir desta e nas próximas semanas a torcida vai começar a tomar conhecimento do elenco do Paysandu para a próxima temporada”, prometeu.

Baseado nas palavras de Albuquerque, se pode afirmar que as supostas contratações do volante Ricardo Capanema e do atacante João Leonardo, ambos do futebol local, que já teriam fechado com o clube, ocorreram por conta da futura direção do clube.

Albuquerque assegurou que não pretende levar em conta a origem dos atletas que pretende trazer para a Curuzu. “O critério não é geográfico é de competência. O jogador que tiver competência para vestir a camisa do Paysandu, independente de onde ele tenha nascido, irá vestir”, anunciou.

O diretor afirmou que pretende trazer atletas que “estejam dispostos a dar tudo, comprometidos, entendendo as competições de muita força que vamos disputar".

“Existem alguns critérios que utilizamos para contratar. O atleta que estiver mais próximo disso estará preparado para vestir a camisa do Paysandu”, explicou o diretor, que achou injusta a queda do Papão para a Série C. “Não acho que o elenco do Paysandu desse ano fosse merecedor (da queda). O futebol é uma conjuntura de fatores. A gente não pode responsabilizar única e exclusivamente o elenco”, concluiu.

Albuquerque adiantou que em sua atuação no Paysandu pretende utilizar de “muita ciência. Isso eu já posso antecipar ao torcedor.” “Todas as nossas tomadas de decisão serão embasadas em números”, explicou o diretor, alegando que esse foi um dos fatores que levaram o Vila Nova a fazer uma boa campanha na Série B deste ano, chegando bem próximo da elite. “Controlar as competências será a nossa diretriz para a montagem do elenco do Paysandu”, argumentou.

(Nildo Lima/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL