Esporte / Pará

GESTÃO

Presidente bicolor planeja anúncio de elenco e extinção de cargo

Segunda-Feira, 03/12/2018, 08:25:19 - Atualizado em 03/12/2018, 08:25:19 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Presidente bicolor planeja anúncio de elenco e extinção de cargo (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
(Foto: Fernando Torres/Paysandu)

A data para a apresentação do elenco do Paysandu ainda está sendo decidida pela nova diretoria do clube. Mas até o dia 5 de janeiro o grupo estará na Curuzu, conforme revelou, ontem, o presidente eleito Ricardo Gluck Paul. Até ontem, apenas dois jogadores, ambos do futebol local, estavam fechados com o clube, que não divulgou os nomes dos atletas. Mas, outros jogadores estão sendo contatados, alguns deles já em fase final de acordo.

Depois de formado o elenco, o grupo deverá fazer um período de pré-temporada, provavelmente dividido em dois grupos. Os atletas que disputaram as Série C e D do Brasileiro e que entraram de férias mais cedo que os da Série B, deverão começar a trabalhar antes. Mas esta decisão, assim como a própria preparação do elenco, ainda é uma incógnita. O problema, conforme informou o Gluck Paul, está relacionado ao calendário do clube no primeiro semestre, com a estreia do time no Estadual acontecendo no dia 19 de janeiro, contra o Tapajós.

O elenco será composto com, no máximo 25 atletas, cinco a mais que o que terminou a temporada deste ano. Como existe a promessa de que o técnico João Brigatti aproveitará atletas vindos da base, as contratações não deverão ser tantas, levando em conta, também, o fato de que alguns dos jogadores remanescentes deste ano permanecerão na Curuzu. Os dirigentes não revelam, pelo menos por enquanto, a quantidade de novos jogadores que pretendem trazer para o clube.

Sai o executivo, entra o diretor e os estagiários

O presidente eleito do Paysandu, Ricardo Gluck Paul, que até o final da semana passada falava na vinda de um novo executivo para o futebol do clube, anunciou, ontem, em contato com o Bola, o fim do cargo na nova gestão bicolor, que começa oficialmente a partir do dia 7 de janeiro, quando ele toma posse. Mas, Gluck Paul e os integrantes da nova diretoria já estão em ação para a reestruturação do clube com vistas à próxima temporada.

Embora o cargo de executivo esteja extinto, a função de executivo continuará funcionando, conforme explicou o dirigente. “O trabalho que era feito pelo executivo, agora será desempenhado pelo diretor de futebol”, argumentou. Desta maneira, o ex-executivo bicolor, André Mazzuco, que está no Paraná-PR, não terá sucessor. Gluck Paul salientou que as novas contratações do clube não estarão afetas apenas ao diretor de futebol, mas a um grupo de pessoas, algumas delas do Centro de Inteligência Bicolor (CIB) e do próprio dirigente.

O CIB será formado por, no mínimo, três analistas de desempenho, que contarão com o auxílio de até cinco estagiários. A missão do novo departamento será o de apresentar todos os subsídios possíveis e imagináveis sobre os atletas pretendidos pelo clube. “Será uma coisa bastante profissional”, assegurou o presidente. A ideia é ser bastante seletivo na aquisição dos atletas, coisa que não ocorreu este ano, quando Mazzuco contratou como bem quis, trazendo para a Curuzu um monte de jogadores sem as menores condições de vestir a camisa bicolor.

Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

Não ser unanimidade é “aviso” para novo gestor

O fato de ter sido eleito com apenas 252 votos, dos 332 associados que votaram na última eleição do Paysandu, foi entendido pelo presidente eleito do clube, Ricardo Gluck Paul, como uma espécie de mensagem de insatisfação do torcedor. Outro aspecto que, na visão do dirigente, contribuiu para o baixo número de participantes do pleito, que reunia 1.040 associados com direito a voto, foi o fato de que apenas uma chapa concorreu nas eleições do clube.

“Analiso essa situação por dois prismas, primeiro é o momento do time. Isso desmotivou alguns sócios a votar. Existe também o fato de ter sido chapa única. Isso quer queira, quer não, tira um pouco a motivação do associado”, avaliou o cartola. “Se a gente tivesse tido mais de uma chapa concorrendo, com toda a certeza, o pleito seria bem mais prestigiado”, completou. “Mas é isso, a gente precisa entender todos os recados que estão chegando para que a gente possa fazer as mudanças necessárias. Entendo que o torcedor clama por isso”, argumentou.

A primeira medida tomada pela nova gestão do clube, tendo Gluck Paul à frente, já vem sendo feita. “A primeira coisa é a avaliação do elenco, que esteve abaixo da crítica e o torcedor espera uma mudança radical e que será feita. Essa análise já está sendo executada”, afirmou. O dirigente também pretende melhorar o comparecimento do torcedor aos estádios e que este ano caiu bastante em relação aos anos anteriores. “A torcida está esperando por um chamado, mas este chamado precisa ser feito com a honestidade de propósitos sinceros para ter o torcedor de volta”, declarou.

(Nildo Lima/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL