Esporte / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Final: São Raimundo 0 x 0 Paysandu. Siga!

Terça-Feira, 11/04/2017, 08:59:13 - Atualizado em 11/04/2017, 23:13:00 Ver comentário(s) A- A+

Final: São Raimundo 0 x 0 Paysandu. Siga! (Foto: DOL)
(Foto: DOL)

LANCE A LANCE:

FICHA TÉCNICA:

São Raimundo: Roger Kath; Leandrinho, Rubran, Wanderlan e Tubarão; Denis Pedra (Charles), Rodrigo Vitor (Bilau), Chaveirinho (Ângelo) e Alexandro; Tiago e Lucas Barbosa

Paysandu: Emerson; Ayrton, Gilvan, Fernando Lombardi (Pablo) e Hayner; Wesley, Rodrigo Andrade e Diogo Oliveira (Daniel Sobralense); Leandro Carvalho, Alfredo (Wil) e Bergson

Hora: 20h30

Estádio: Barbalhão, Santarém (PA)

Árbitro: Gustavo Ramos Melo

Auxiliares: Márcio Gleidson Corrêa Dias e Dimmi Yuri Cardoso

PRÉ-JOGO:

Envolvido em duas semifinais paralelas – a outra é pela Copa Verde, contra o Santos-AP –, o Paysandu inicia, hoje, o embate de 180 minutos contra o São Raimundo, pela penúltima fase do Parazão. As equipes entram em campo, às 20h30, no estádio Barbalhão, em Santarém, sem qualquer tipo de vantagem. O confronto de volta, quando se conhecerá o adversário de Remo e Independente, que farão a outra semifinal, acontecerá no dia 22, na Curuzu.

 Papão e Pantera chegam à etapa semifinal do Estadual ostentando as duas melhores campanhas do Grupo A1 da fase classificatória, com 20 e 17 pontos, respectivamente. O time bicolor, contabilizando jogos da disputa local e da Copa Verde, soma 11 partidas sem derrota na temporada. Já a equipe da casa acumula uma vitória (2 a 0 São Francisco) e um empate (Independente 2 a 2) em seus últimos jogos no campeonato.

 As equipes se confrontam depois de um bom período para suas respectivas preparações. Tanto o técnico bicolor, Marcelo Chamusca, quanto o comandante alvinegro, Ricardo Lecheva, estrategicamente, procuraram poupar seus principais atletas na última rodada da fase anterior. Mesmo assim, o Pantera sapecou 2 a 0 no principal clássico do futebol santareno, o Rai-Fran. Já os bicolores não foram além de um empate (1 a 1) frente ao despachado Águia de Marabá, na Curuzu.

 Embora trabalhe pela primeira vez em um clube local, Chamusca tem acompanhado atentamente o que acontece nas demais equipes. Do São Raimundo, por exemplo, ela sabe na ponta da língua a escalação de ponta a ponta. Em meio aos nomes dos atletas adversários, o técnico destaca as características de cada um deles. Já Lecheva, que comanda o adversário bicolor, dispensa maiores apresentações por ter defendido, por vários anos, o Papão e até iniciado na Curuzu a carreira de treinador.

 

Chamusca alerta para o conjunto santareno

 O fato de o São Raimundo ter em seu comando Ricardo Mendes, o Lecheva, que já defendeu o Paysandu nas condições de jogador, treinador e outras funções, é, na opinião do técnico bicolor, Marcelo Chamusca, motivo de preocupação. Mas este não é o único aspecto que torna a equipe santarena uma ameaça às pretensões do Papão.

 Sobre Lecheva, Chamusca comentou: “Como jogador, ele tem um histórico de vitórias e títulos e também teve êxito aqui como treinador. Então é um profissional que conhece a característica do Paysandu. Então é mais uma dificuldade que vamos enfrentar”, argumentou. Chamusca preferiu não apontar este ou aquele setor do Pantera como ponto forte do adversário.

 “O que conta é o conjunto deles”, justificou. “É um grupo que tem jogadores qualidade. Tem zagueiros que jogam com a bola no chão e volantes de construção. É um time, como um todo, muito forte”, declarou. Outra vantagem do adversário é o fato de ter se dedicado a semana toda para a partida de hoje. “Nesse quesito eles levam certa vantagem”, afirmou.

Em busca do título inédito

 O técnico Ricardo Mendes, o Lecheva, pode conquistar uma senhora façanha em sua carreira de treinador: a de levar o São Raimundo, pela primeira vez na história do clube, a conquista de um Estadual. Na avaliação do treinador, as chances para que isso aconteça são bastante palpáveis. “Começaram dez equipes e agora só restam quatro em busca dessa conquista”, argumenta.

 A boa campanha do Pantera, que em 10 jogos obteve 6 vitórias e 2 empates, sofrendo apenas duas derrotas, é, segundo análise do treinador, motivo de aval para colocar o time em condições de igualdade com os concorrentes na briga pelo título do Parazão. “Acho que a consistência da campanha de nosso time nos dá o crédito de sonharmos com esse título paraense”, argumenta.

 Lecheva deve manter a base do time que vem utilizando, mas até ontem ele tinha pelo menos uma dúvida: o atacante Eric Foca, que fazia tratamento na coxa. Caso não possa contar com o atleta titular, o comandante lançará mão do reserva Tiago ao lado de Bilau no ataque.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



Comentários