Esporte / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Renda e torcida podem amenizar a crise nos cofres

Sexta-Feira, 23/09/2016, 08:59:02 - Atualizado em 23/09/2016, 09:02:20 Ver comentário(s) A- A+

Renda e torcida podem amenizar a crise nos cofres (Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)
(Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)

Desde a eliminação do time no Campeonato Brasileiro da Série C, o Remo tem sido sinônimo de problema. Um dos grandes imbróglios azulinos é conseguir deixar em dia o salário dos atletas, principalmente porque a maioria não é de Belém e não deve haver renovação nos contratos. Com isso, a diretoria de futebol tenta resolver toda a situação financeira.

Na última terça-feira (20), o elenco conversou com a direção de futebol sobre o futuro. “Nós tivemos uma conversa com alguns jogadores. Eles vão esperar, vão se apresentar na sexta-feira, provavelmente. E vamos aguardar o desfecho dessa situação do Botafogo-PB”, afirmou Paulo Mota, integrante da comissão de futebol remista.

Apesar do caso no STJD contra o Belo, a preocupação de Paulo Mota é outra: a situação financeira dos azulinos. “Nós já conversamos sobre isso. A nossa expectativa é que, com sócio-torcedor, com a renda do último jogo, a gente consiga pagar os funcionários e a metade do mês de julho, que está atrasada, mas vamos esperar a chegada do presidente para resolvermos isso melhor”, concluiu.

Diretor diz que a situação do Leão é feia e delicada

 O Presidente do Remo, André Cavalcante, convocou a imprensa para conceder uma entrevista coletiva nesta sexta-feira, às 10h30, no estádio Baenão. Porém, antes disso, o dirigente vai se reunir, junto com a diretoria de futebol remista, com os jogadores e a comissão técnica.

O principal assunto será o pagamento dos salários, que hoje, chegam a uma folha e meia de atraso. “Eu já falei com o presidente e com o vice, que nós vamos sentar para conversar sobre o planejamento financeiro agora deste final de ano. A gente tem que dar um jeito, achar uma maneira para tentar pagar pelo menos o mês de agosto. A situação financeira do clube é muito feia, muito delicada e vamos tentar solucionar as coisas”, afirmou Paulo Mota, integrante da comissão de futebol do clube.

(Café Pinheiro)

Leia também:

Comentários