Esporte / Brasil

CASA CHEIA

Hoje é o dia! Papão busca o título de bicampeão da Copa Verde

Quarta-Feira, 16/05/2018, 07:21:44 - Atualizado em 16/05/2018, 08:03:29 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Hoje é o dia! Papão busca o título de bicampeão da Copa Verde (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)
Embora a vantagem seja boa, Dado quer o time focado, sem salto alto (Foto: Jorge Luiz/Paysandu)

Em um Mangueirão “pintado” de azul e branco, com direito a mosaico nas arquibancadas, o Paysandu tem a faca e o queijo na mão para levantar, pela segunda vez na história, o título de campeão da Copa Verde. O Papão, que terá uma massa de mais de 30 mil torcedores a seu favor, enfrentará o Atlético-ES, a partir das 21h30, na grande final da 5ª edição do torneio interestadual. Os bicolores entram em campo apontados como favoritos não só pela campanha invicta na competição, mas, principalmente, pela boa vantagem obtida após ter batido o adversário na partida de ida, em Cariacica, por 2 a 0.

Com os pés no chão, tanto o técnico Dado Cavalcanti quanto os seus comandados asseguram que já esqueceram o triunfo anterior e que a vantagem que possuem não será levada a campo. Os bicolores querem fechar a participação no torneio em alta, o que significa dizer, com mais uma vitória, que seria a 7ª da equipe ao longo do torneio. Munição para tanto é o que não falta ao treinador alviceleste. Com exceção do zagueiro Fernando Timbó e do apoiador Danilo Pires, Dado dispõe de todo o restante de seu elenco para a partida, podendo, portanto, escalar o que há de melhor na Curuzu para a formação que iniciará a partida.

 O treinador, como já se tornou rotineiro na temporada, faz mistério quanto à equipe que iniciará a decisão. Contudo, o torcedor já pode dar como certos os retornos dos zagueiros Perema, recuperado de lesão na coxa, e Diego Ivo, do volante Nando Carandina e dos atacantes Cassiano e Moisés, estes poupados do jogo passado contra o Juventude-RS, pela Série B do Brasileiro. Do contrário não haveria razão para que Dado deixasse os atletas de fora da desgastante viagem ao Rio Grande do Sul.

 A volta de Cassiano, por exemplo, parece imprescindível ao time, visto que o atacante é o principal goleador bicolor na temporada, com 16 gols, e da Copa Verde, na qual contabiliza 9 tentos. O mesmo se aplica ao retorno dos zagueiros para que o sistema 3-4-3 volte a funcionar a pleno valor, enquanto que Carandina representa segurança ao meio de campo e Moisés é sinônimo assistência aos companheiros de ataque, sobretudo a Cassiano seu cliente nos passes para gol. Agora, é só fazer o dever de casa e partir para a comemoração.

NÚMEROS

35 mil - A diretoria bicolor disponibilizou ao público um total de 35 mil bilhetes, sendo 28.900 destinados à venda, que esgotaram ainda na segunda-feira à noite.

R$ 4 milhões  - Caso venha a faturar o título do torneio, o Papão pode embolsar algo em torno de R$ 4 milhões, somadas a cota fixada pela CBF, premiação e arrecadação nas bilheterias. Só com ingressos vendidos, o clube já tem assegurado R$ 1.219.000. O prêmio pelo título é de R$ 168 mil. Juntam-se a esses valores, a cota de 2.4 milhões pela participação do campeão no torneio nas oitavas de final da Copa do Brasil de 2019.

Galo da Vila está em busca de um milagre

O time do Atlético-ES chegou a Belém, onde fez, ontem, o seu último treinamento, disposto a pregar uma peça no adversário e roubar a cena na grande final da Copa Verde. A equipe capixaba não cumpre boa campanha na Série D do Brasileiro e, além do mais, saiu em desvantagem na grande final do torneio interestadual, caindo em casa diante do Paysandu (2 a 0), que o obriga a conseguir uma vitória com, no mínimo, dois gols de diferença para levar a decisão para as cobranças dos tiros livre da marca do pênalti. Apesar do cenário ruim, o técnico Zé Humberto não perde a esperança.

“Sabemos das condições e da grandeza do Paysandu, mas temos de continuar fazendo aquilo que nós sempre fizemos, que é propor o jogo e jogar de igual para igual”, diz o treinador. Ele lembrou que até o primeiro jogo com os bicolores, a equipe capixaba cumpria boa campanha no torneio. “Até o jogo contra o Paysandu nós estávamos invictos”, argumenta Zé, dando a entender que o grupo que comanda pode se reabilitar justamente na despedida da competição.

O comandante do Galo da Vila revela como pretende ver o seu time atuando. “Vamos procurar fazer um jogo com consistência e muito disciplinado taticamente. Se as oportunidades aparecerem, tentar diminuir o placar, que começa com 2 a 0 para o adversário”, diz. O Atlético é o lanterna do Grupo A13 da Série D, com apenas 2 pontos, fruto de 2 empates e 2 derrotas. Em seu último jogo empatou, em casa, por 0 a 0, com o Novorizontino-SP.


(Nildo Lima/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL