Esporte / Brasil

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Final: Botafogo-PB 3X2 Remo

Segunda-Feira, 19/06/2017, 07:46:07 - Atualizado em 19/06/2017, 23:01:17 Ver comentário(s) A- A+

QUEM VAI VENCER?


 

LANCE A LANCE

 

 

FICHA TÉCNICA:

Botafogo-PB: Michel; Gustavo (Roger Gaúcho), Plínio, André Santos e Alyson (Fernandes); Djavan, Magno, Cleyton e Marcinho; Dico e Rafael Oliveira (Warley)

Remo: Vinicius; Léo Rosa, Leandro Silva, Igor João e Gerson; Tsunami, João Paulo e Eduardo Ramos; Mikael (Ilaílson), Edgar (Gabriel Lima) e Nino Guerreiro (Flamel)

Estádio: Almeidão, João Pessoa (PB)

Árbitro: Paulo Henrique de Melo Salmazio

Auxiliares: Eduardo Goncalves da Cruz e Leandro dos Santos Ruberdo

 

REMO ENFRENTA O BELO COM ESTREIA DE CANINDÉ

A situação na tabela de classificação da Série C não é ruim, mas a desconfiança entre torcida azulina e a direção do clube, e time, parece um fator difícil de se superar.

No lançamento da camisa oficial do clube para a temporada, já foi possível ouvir alguns apupos e agressões à direção do clube.

No meio da tempestade, o novo técnico remisa, Oliveira Canindé, teve cerca de 5 dias para tomar posse do grupo azulino, o preparar para o duelo contra o Botafogo-PB, do volante Djavan e o do artilheiro Rafael Oliveira.

Uma vitória hoje pode aproximar, novamente, o time da liderança, sedimentar a permanência no G4 e mostrar para a torcida que, nas palavras do poeta Djavan “o amor é azulzinho”.

Com menos de uma semana de trabalho, os sinais que Canindé pôde observar no Baenão não disseram ao certo quem é esse grupo do Remo.

E mesmo não sendo muito popular com a torcida, o técnico devorou o sistema tático que Josué Teixeira vinha tentando montar.

De novidade no time titular, em relação ao último jogo, apenas a entrada de João Paulo no meio campo, após cumprir suspensão, no posto de Marcelo Labarthe, que vai para o banco.

Já no Botafogo, o técnico Itamar Schülle, cuja trajetória no clube se aproxima de dois anos, aposta no segredo.

Seu bem querer, a escalação, é segredo e é sagrado, está sacramentado no seu coração, com a liberação apenas nos vestiários do Almeidão. Apesar disso não devem haver grandes mistérios em relação a outras jornadas.

O atacante Rafael Oliveira, se recuperando de lesão, é dúvida e pode dar lugar a Fernandinho. O meia Roger Gaúcho, contratado ao futebol catarinense, por outro lado, pode finalmente fazer sua estréia após ter o nome regularizado no BID.

DO OUTRO LADO, ELE: RAFAEL OLIVEIRA

O Botafogo defende atualmente uma marca interessante no Campeonato Brasileiro.

Com apenas 1 gol sofrido em 5 rodadas, tem a melhor defesa e média das 4 divisões. Entretanto, o que a defesa tem sobrado o ataque tem desapontado.

Foram apenas 3 gols em 5 jogos, e a ausência do artilheiro Rafael Oliveira, há duas semanas afastado se recuperando de uma lesão na coxa.

Em processo de finalização de transição física, Rafael, artilheiro do time na temporada com 18 gols, é cotado para começar jogando. Os colegas levam a sério a perspectiva da volta, mas o técnico disfarça.

"O Rafael é um jogador importante, mostrou sua qualidade de goleador ao longo da temporada, mas vai voltar quando estiver nas condições ideais. Isso não depende só da gente", comenta Itamar Schülle.

Além de Rafael Oliveira, estão fora do time os atletas Lito, Bruno Maia, Jádson e Lito, todos realizando transição física, mas apenas o atacante paraense, ex-Paysandu, vinha atuando como titular da equipe.

Um dos nomes certos para essa partida é o meia titular Marcinho, que não titubeou em cravar o retorno de Rafael. 

Se não puder contar com Rafael, não faltam destaques ao time do Belo para assumir a responsabilidade. O jovem volante Djavan é um dos nomes que trás confiança à torcida.

O meia Cleyton, comandado de Oliveira Canindé na campanha do acesso do CSA-AL em 2016, também vem obstinado a quebrar o jejum de gols na Série C e o veteraníssimo atacante Warley, ex-Palmeiras e São Caetano.

(DOL e Taion Almeida/Diário do Pará)



Conteúdo Relacionado:



Comentários