Entretenimento / Fama

DESENROLAR

Letícia Almeida fala em agressão de ex e conta sua versão sobre a paternidade da sua filha

Sexta-Feira, 10/08/2018, 09:35:03 - Atualizado em 10/08/2018, 10:45:35 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Letícia Almeida fala em agressão de ex e conta sua versão sobre a paternidade da sua filha (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O novo capítulo da “novela” sobre Letícia Almeida traz revelações da atriz em uma entrevista dada ao jornal Extra. A artista falou pela primeira vez após a polêmica sobre a verdadeira paternidade da filha Maria Madalena, de 6 meses. Emocionada, ela deu a versão da história toda e disse que chegou a registrar um boletim de ocorrência na polícia contra o músico Saulo Pôncio.

A jovem de 22 anos detalhou as fases de altos e baixos com Saulo e revelou inclusive uma briga envolvendo a família do ex. A confusão teria ocorrido em 20 de junho, porque eles tentaram, segundo Letícia, ficar com a menina sem o consentimento dela. “Me xingaram, xingaram meu pai, rasgaram nossas roupas. Pedi uma medida protetiva. Estou com muito medo e nem saio de casa”, relata.

Letícia conta que conheceu Saulo na igreja onde o pai de Saulo era pastor. Eles começaram a namorar, mas o relacionamento acumulava brigas, por conta do ciúme de Saulo, segundo a atriz. Depois que terminaram, ela namorou o ator Pablo Morais, mas terminaram dois meses depois e ela voltou a sair com Saulo.

A atriz conta que foi ela quem apresentou o músico Jonathan Couto à cunhada, Sarah Pôncio. O lance entre os dois foi passageiro, mas ela conta que o jovem continuou a procurá-la mesmo depois de casado com Sarah.“Ela não estava grávida nesta época. O filho dela tinha 4 meses e ela foi dormir. Fiquei na sala com amigos e com o Jonathan. Bebemos, e não lembro direito como aconteceu. Mas aconteceu. E, infelizmente, não posso apagar isso, desfazer”, contou.

“Depois do que aconteceu, ele me procurava insistentemente. Mandava mensagem pelo direct do Instagram de madrugada me chamando para ver um filme, para ficar com ele. Isso na mesma casa em que ele era casado com minha cunhada. Eu dizia não. Uma noite ele chegou a entrar no meu quarto. Mas nunca pretendi ter nenhum caso com ele", acrescentou.

“O que aconteceu não deveria ter acontecido e eu jamais iria querer destruir um casamento, uma família. Tentei esquecer tudo isso. Jamais passou pela minha cabeça que ele podia ser o pai da Maria”, revelou.

Stela Woo/Metrópoles

Já grávida, Letícia viu o relacionamento com Saulo desandar, e, de acordo com ela, estava com um comportamento estranho. “Quando eu estava com 7 meses, eu já morando na casa deles, meus sogros falaram para eu fazer um teste de DNA pra ver se Saulo se endireitava, para ele ter a noção de que ia ser pai, criasse responsabilidade. Eu topei, claro. Mas decidimos esperar a bebê nascer.”

Após a revelação da verdadeira paternidade da criança, Letícia conta que viveu momentos de tristeza, isolamento e de brigas entre a família dela e a de Saulo, que teriam inclusive tentado tirar a menina à força dos braços dela. Todos pararam na 16ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca, onde foi registrada ocorrência por danos, injúria e vias de fato.  “No dia 20 de junho, mandei uma mensagem para a Sarah pedindo que ela deixasse a carteira de vacinação da Madá na portaria do condomínio. Eu a levaria ao pediatra na segunda-feira. Quando chegamos ao condomínio, eu, meu pai e a Madá, nosso carro foi fechado pelos carros do pastor Márcio e de seus seguranças, oito no total. Meu pai não entendeu, eu estava atrás com a minha filha na cadeirinha quando o pastor abriu a porta e tentou tirá-la. Eu comecei a gritar, o Saulo veio e tentou arrancá-la com truculência. Eu desesperada porque iriam pegar minha filha, meu pai foi contido pelos seguranças, e Saulo puxando a menina. Soltei para não machucá-la e fui atrás. Mas o Márcio gritava dizendo que a gente ia ver com quem tava lidando”, contou. 

“Pegaram o carro do meu pai e levaram para dentro do condomínio, liguei para minha advogada e quando estava no celular o Saulo veio pra cima de mim, jogo meu celular no chão, quebrou e sumiu com ele. Lá de dentro vem a mãe dele, a Simone me xingando de piranha e vagabunda. Ela partiu para cima de mim, rasgou minha roupa, vendo aquilo tudo, meu pai veio me defender e ela rasgou as roupas dele também. Chamamos a polícia e todos fomos para a delegacia. pedi uma medida protetiva porque estou com medo”.

Ela lamentou a exposição de sua história por Saulo Pôncio nas redes sociais e conta que sofre pela pressão e julgamento das pessoas na internet. Hoje, Letícia deixou todas as redes sociais e conta que recebe apoio de amigos, dos pais e diz que espera apenas que a filha a perdoe no futuro. “Olho para ela e penso: será que um dia ela vai me amar mesmo sabendo de tudo?”

Leticia Almeida na delegacia após afirmar que foi agredida por ex e ex-sogra (Foto: Arquivo Pessoal)





Comentários

Destaques no DOL