Entretenimento / Fama

SERÁ?

Whinderson Nunes diz que não gostava de gays no passado, mas 'mudou'

Quinta-Feira, 05/07/2018, 11:12:23 - Atualizado em 05/07/2018, 11:31:03 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Whinderson Nunes diz que não gostava de gays no passado, mas 'mudou' (Foto: Divulgação)
Whindersson Nunes admitiu em suas redes sociais que não gostava de homossexuais no passado (Foto: Divulgação)

A polêmica que envolve o youtuber Júlio Cocielo após fazer um comentário racista em uma rede social, continua dando o que falar. Dessa vez, o humorista e youtuber Whindersson Nunes admitiu em suas redes sociais que não gostava de homossexuais no passado, mas jurou que esse pensamento mudou ao longo dos anos. Essa já é a segunda polêmica que o humorista se envolve nos últimos dias. Whindersson foi duramente criticado nas redes sociais após fazer uma piada com deficientes auditivos. 

Em seu perfil no witter, ele escreveu:

No post que desencadeou a polêmica, o influencer Cocielo fez o seguinte comentário sobre o jogador Kylian Mbappé, da seleção de futebol francesa: ''Mbappé conseguiria fazer um arrastão top na praia hein''.

A situação ficou ainda pior depois que alguns comentários racistas e homofóbicos feitos por Cocielo há alguns anos foram resgatados por seguidores na internet, como ''O Brasil seria mais lindo se não houvesse frescura com piadas racistas. Mas já que é proibido, a única solução é exterminar os negros'' ou ''Eu queria ter gravado o vídeo sobre o Dia da Consciência Negra, só que aí eu deixei quieto porque na cela não tem wi-fi''. 

Com a repercussão, Whindersson também decidiu falar sobre as opiniões que costumava dar no passado e chegou a desafiar seus seguidores: 

Após os comentários serem divulgados, o youtuber perdeu contrato com grandes marcas como Coca-cola, Adidas e Itaú-Unibanco. O Submarino também afirmou que retirou do ar a campanha feita por Cocielo. Já a Coca-Cola afirmou que não pretende manter parcerias futuras com o youtuber e afirmo que''manifestações preconceituosas não são toleradas''.

O Banco Itaú informou que ''o youtuber não faz mais parte de qualquer peça de comunicação'' da campanha. A Adidas também se pronunciou sobre o caso e disse que suspendeu a parceria com o influenciador. ''A Adidas é uma marca que repudia todo e qualquer tipo de discriminação. Portanto, decidimos suspender a parceria com ele'', informou. 

Para se defender, Cocielo disse que o tuíte foi ''interpretado por mil formas diferentes'' e se desculpou por ''outras postagens antigas''. Ele também apagou cerca de 50 mil tuítes de sua conta no Twitter. 

(Com informações do portal Uai)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL