Entretenimento / Cinema

VEJA A PROGRAMAÇÃO

Mês do Filme Documentário inicia amanhã, em Belém

Quarta-Feira, 14/11/2018, 22:41:17 - Atualizado em 14/11/2018, 22:41:17 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Mês do Filme Documentário inicia amanhã, em Belém (Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A partir da próxima quinta-feira (15), a Aliança Francesa Belém apresenta o Mês do Filme Documentário, projeto realizado internacionalmente pela Associação Images en Bibliothèque, com o apoio do Institut Français. Na capital paraense, a mostra ocorre em parceria com o Cinema Olympia e a Faculdade de Letras Estrangeiras Modernas (Falem), da UFPA, espaços onde além da sede da própria Aliança Francesa também ocorrerão sessões de exibição, com extenso e diverso programa, que se estende até o dia 27/11.

Nesta edição, o festival aborda temas variados e possui quatro eixos temáticos: “Olhar sobre a criação recente”, “Zoom Sobre a Obra de Clément Cogitore”, “Retratos do Cinema” e “Memória, imanência e verdade”. Na capital paraense, foi incluído também um dia para uma sessão-debate sobre o “Dia da Consciência Negra”, com representantes do movimento.

Destinado a promover debates culturais, educativos e sociais a partir do cinema documentário a um grande público, o Mês do Filme Documentário ocorre no mundo inteiro, em diversas bibliotecas, cinemas, escolas, universidades e centros culturais. A Aliança Francesa de Belém tem o enorme prazer de realizar na capital da Amazônia este evento, que traz à cidade as produções francófonas mais recentes deste gênero cinematográfico.

“A programação foi escolhida em conjunto com nossos parceiros, de acordo com as temáticas que cada um queria abordar. Acabamos dando destaque para o dia 20 de novembro, uma data importante, que coincidiu com a realização do festival, e não podíamos deixar de fazer um debate sobre o assunto da consciência negra. o continente onde mais se fala francês no mundo hoje, é na África, e a Aliança Francesa não poderia se furtar a fazer essa menção”, explica Carmem Virgolino, gerente cultural da AF.

As exibições iniciam no Cinema Olympia, quinta-feira (15), a partir das 16h30, e segue até domingo (18). Na terça-feira (20) ocorrerá na UFPA a sessão sobre o Dia da Consciência Negra, celebrada no dia 20 de novembro anualmente, e o dia 22 será dedicado a produção do francês Clément Cogitore; no dia 27/11, a programação será na Aliança Francesa, no “Le Rendez-vous Cinéma”, que ocorre mensalmente na instituição.

Serviço

 Mês do Filme Documentário em Belém
Entrada gratuita
De 15 a 18/11 – Cinema Olympia (Av. Pres. Vargas, 850 – Campina)
Dias 20 e 22/11 – Auditório Paulo Mendes – Instituto de Letras e Comunicação (UFPA – 2º Portão – Guamá)
Dia 27/11 – Aliança Francesa Belém (Tv. Rui Barbosa, 1851 – Batista Campos)

Para mais informações: (91) 3224-3998/98443-8252 ou contatos@afbelem.com

Visite: Tv. Rui barbosa, 1851, entre Rua dos Mundurucus e Avenida Conselheiro Furtado - Batista Campos

Programação

#1 - Cinema Olympia - de 15 a 18 de novembro

Tema : “Retratos do Cinema”.

-15/11, 16h30. “Jean Douchet – L’enfant agité”, de Fabien Hagège. 2017.  O filme aborda a vida de três jovens cinéfilos que acompanham o crítico de cinema Jean Douchet em uma conversa com a presença dos seus amigos e antigos alunos, buscando assim desvendá-lo.

-16/11, 18h30. “Le scandale Clouzot”, de Pierre-Henri Gilbert, 2017. Filme sobre uma desmistificação da figura de tirano do cineasta de suspense Henri-Georges Clouzot, apresentando-o em vez disso como um visionário e artista contra o sistema.

-17/11, 16h30. “In The Mood For Melville”, de Benjamin Clavel. 2017. 58min. Legendado. Com 14 filmes realizados ao longo de 25 anos de carreira, Jean-Pierre Melville tornou-se uma lenda internacional. Neste documentário, Benjamin Clavel aborda a carreira do cineasta desde a Nouvelle Vague, da qual é um dos precursores, até a influência que exerceu sobre outros diretores, como Martin Scorsese e Quentin Tarantino

Tema: Olhar sobre a criação recente

- 18/11, 16h30. “Tweety lovely superstar”, de Emmanuel Gras. 2005. 18min. Mudo. Quatro homens e uma criança no teto de um imóvel debaixo de um sol escaldante. O Trabalho deles: destruí-lo. Suas ferramentas: os braços, apenas. Eles fazem isso todo santo dia.

17h, “Makala”, de Emmanuel Gras. 2017. 1h36. Legendado. Prêmio do Grand Prix de la Critique do Festival de Cannes – 2017. Um jovem morador de um vilarejo no Congo não tem muito a oferecer à sua família, mas fará de tudo para que eles tenham um futuro melhor e com mais oportunidades. Na jornada para vender os frutos do seu próprio trabalho, ele aprende uma importante lição sobre a vida, a perseverança e o valor da família.

#2 - AUDITÓRIO PAULO MENDES (ILC) – UFPA – 20 & 22/11

Tema: Dia da Consciência Negra

- 20/11, 15h. “Makala”, de Emmanuel Gras, 2017. 1h36. Legendado. Prêmio do Grand Prix de la Critique do Festival de Cannes – 2017. Um jovem morador de um vilarejo no Congo não tem muito a oferecer à sua família, mas fará de tudo para que eles tenham um futuro melhor e com mais oportunidades. Na jornada para vender os frutos do seu próprio trabalho, ele aprende uma importante lição sobre a vida, a perseverança e o valor da família.

“Ouvrir la voix”, de Amandine Gay. 2017. 2h09. Legendado. Documentário sobre as mulheres negras afetadas pela história colonial europeia na África e nas Antilhas. Abordam-se questões de discriminação, de arte, de pluralidade de trajetórias de vida e da necessidade de se recuperar a narrativa da existência.

Temas: “Zoom Sobre a Obra de Clément Cogitore” e “A produção documental mais recente”

-22/11, 15h, “Braguino”, de Clément Cogitore. 2017. 50min. Legendado. Na floresta siberiana, longe da civilização, uma disputa opõe duas famílias cujas casas são separadas por um rio. Justamente no meio dele há uma ilha onde as crianças das duas famílias encontram-se à revelia dos adultos.

“Les Indes galantes”, de Clément Cogitore. 2017. 6min. Mudo Prêmio de Público no festival do CM de Clermont-Ferrand 2018 O Krump é uma dança nascida nos guetos de Los Angeles depois das rebeliões de 1995. Clément Cogitore, através dessa performance filmada no palco da Ópera Bastille, cria uma batalha entre a cultura urbana e a música de Rameau.

“Bielutine”, de Clément Cogitore. 2011. 40min. Legendado em espanhol Prêmio FIDLAB ano Festival internacional do documentário de Marseille. Nina e Ely estão envelhecendo tranquilamente em um apartamento em Moscou repleto de obras de arte famosas. E mais: estão dispostos a contar a incrível história de sua coleção.

“Histoires de la Plaine » de Christine Seghezzi. 2016. 72min. Legendado em inglês/espanhol Um conjunto de olhares e relatos direto dos pampas argentinos de resistência à destruição do meio-ambiente por conta da monocultura intensiva e do uso de pesticidas.

#3 - 18h30. ALIANÇA FRANCESA : “Le Rendez-vous Cinéma”

Tema: “Memória, imanência e verdade”, com exibição TRECHOS dos filmes “Carré 35” (2017), de Éric Caravaca e “Sans adieu” (2017) de Christophe Agou

“Carré 35”, de Éric Caravaca, 2017. 67min. Legendado. Sessão Especial no Festival de Cannes 2017. O diretor Éric Caravaca faz um resgate de sua infância para realizar uma investigação sobre um segredo por muito tempo em silêncio, um tabu que envolve a memória dolorosa de sua irmã que morreu aos 3 anos de idade, e de quem os pais não guardam sequer uma fotografia. O endereço, a Carré 35, é a propriedade onde a criança foi sepultada, e é lá que Éric buscará respostas.

“Sans adieu”, de Christophe Agou. 2017. 99min. Legendado em espanhol. Claudette, uma idosa camponesa de 75 anos, está no mesmo barco em que seus vizinhos agricultores: eles sentem que cada vez mais estão sendo ignorados pelos seus governantes, além de terem suas poucas riquezas consumidas por eles. Mas eles estão longe de terem perdido suas forças para lutar.

(DOL)

 





Comentários

Destaques no DOL