Colunistas / Gerson Nogueira

GERSON NOGUEIRA

Leia na coluna de Gerson Nogueira: 'Que Tiago Luís é este?' e 'barca remista'

Sexta-Feira, 26/04/2019, 08:14:38 - Atualizado em 02/05/2019, 18:27:15 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Leia na coluna de Gerson Nogueira: 'Que Tiago Luís é este?' e 'barca remista' (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
(Foto: Fernando Torres/Paysandu)

Há um sentimento dividido na torcida do Papão quanto ao retorno de Tiago Luís, meia-atacante que passou pelo clube em 2016 e teve papel destacado no esforço para escapar ao rebaixamento à Série C. A diretoria do clube confirmou a contratação ontem à tarde.

Quando passou por aqui, Tiago se destacou pelo estilo vistoso, cheio de dribles e lançamentos caprichados. Como era previsível, caiu logo no gosto dos torcedores.

Como o custo de renovação era relativamente alto, acabou não fechando acordo e foi liberado. Assinou com o Goiás e aí as coisas começaram a desandar. No clube goiano, teve passagem discreta, com muita dificuldade para permanecer entre os titulares.

Depois de marcar seis gols e conseguir sete assistências em 23 jogos pelo PSC na Série B, Tiago Luís murchou no Goiás. Participou de 25 partidas e marcou dois gols na Série B 2017, mas sem obter a mesma empatia com o torcedor alviverde.

No São Bento, seu clube mais recente, Tiago não era titular absoluto e acabou assistindo do banco de reservas o rebaixamento do clube no Campeonato Paulista, após sete discretas participações.

Com constante dificuldade para se manter nas condições ideais, Tiago há muito tempo não repete as performances do começo da carreira, o que é plenamente normal para um jogador de sua idade e que atua no meio-campo próximo aos atacantes.

A dúvida que corrói os bicolores é justamente essa: que Tiago Luís é este que volta ao clube para um recomeço, após três anos? Será o jogador inquieto e que compensava certa lentidão com passes milimétricos e chutes certeiros? Ou será o meia acomodado que não conseguiu jogar nem no limitadíssimo São Bento?

Os primeiros treinos com o elenco, sob a direção de Léo Condé, irão dizer o que se pode esperar dele. Caso seja utilizado como jogador de aproximação com o ataque, terá que brigar por posição com Nicolas, principal destaque do PSC no Campeonato Paraense.

Caso seja um meia-armador clássico, responsável pela articulação e as jogadas mais criativas, terá Diego Rosa, Tiago Primão e Leandro Lima como concorrentes pela titularidade. Aos 30 anos, sem a mesma mobilidade de antes, terá que se desdobrar para cavar um lugar no time.

A conferir.

Uma projeção do custo de tíquetes na Série A

A rodada inaugural do Campeonato Brasileiro da primeira divisão já tem os jogos definidos e os preços de ingressos fixados. O Cuponation, plataforma de descontos pertencente à empresa alemã Global Savings Group, fez um levantamento para comparar quanto cada clube cobra pela entrada.

Pela análise do preço disponibilizado nos sites, a Chapecoense pratica o valor de entrada mais caro, cobrando R$ 120,00 pelo ingresso mais em conta. Já o custo individual mais baixo de bilhetes é praticado por Ceará e São Paulo, ambos cobrando R$ 40,00 pelos ingressos mais populares.

No total, 128 equipes disputam as quatro divisões do Campeonato Brasileiro (A, B, C e D), com representantes de praticamente todos os Estados.

São Paulo é o clube mais times nas divisões nacionais – 14, englobando as séries A, B e D. Rio Grande Sul, Paraná e Minas Gerais têm nove representantes. Santa Catarina e Rio de Janeiro têm oito.

Dois Estados contam com representantes em todas as quatro divisões, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, e nove Estados só têm times na série D. O Pará está presente nas séries C e D, com quatro clubes.

Leão leva a melhor na era Mangueirão

Por provocação de um leitor da coluna, o DataNogueira mergulhou numa pesquisa em cima dos números do futebol paraense na era Mangueirão. Inaugurado em março de 1978, no histórico jogo em que o Remo derrotou o Operário com gols de Mego, o estádio Jornalista Edgar Proença foi palco de 42 decisões de campeonato estadual.

Ao longo desse tempo, a hegemonia é azulina, com 20 conquistas, que incluem um tricampeonato (89-90-91) e um pentacampeonato (93-94-95-96-97). O PSC ficou com 18 títulos no período, com dois tricampeonatos (80-81-82 e (2000-2001-2002).

Barca do adeus remista surpreende pelas omissões

Quando foram anunciadas as dispensas no elenco do Remo, mais do que os nomes divulgados, chamou atenção a ausência de atletas que eram tidos como certos na barca do adeus. Os laterais Geovane e Ronael, de rendimento pífio ao longo do certame estadual, foram preservados e devem continuar no elenco. A decisão, pelo que se comenta no Baenão, é do técnico Márcio Fernandes.

Tiago Félix, que teve poucas oportunidades, mas ainda assim foi superior a Ronael na lateral esquerda, não teve padrinho forte e acabou despachado.

Quer ver a pesquisa completa?! Clica aqui!





Comentários

Destaques no DOL