Colunistas / Gerson Nogueira

GERSON NOGUEIRA

Independente se classifica e vira assunto na coluna do Gerson Nogueira

Terça-Feira, 09/04/2019, 10:16:27 - Atualizado em 09/04/2019, 10:36:40 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Independente se classifica e vira assunto na coluna do Gerson Nogueira (Foto: Wagner Santana)
(Foto: Wagner Santana)

Galo se impõe e vai à 2ª final

O torcedor que compareceu à Curuzu, ontem à noite, mostrou grandeza desportiva ao reconhecer os méritos do Independente de Tucuruí, que perdeu para o PSC por 1 a 0, ficou em vantagem no placar agregado e se classificou à final do Campeonato Paraense.

Foi um jogo tático e controlado por parte do Galo Elétrico, que em nenhum momento se abalou com a pressão que o Papão tentava impor. Apesar de todas as investidas em direção ao gol, o ataque do PSC poucas vezes ameaçou de verdade.

Durante o primeiro tempo, houve uma jogada mais criativa de Tiago Primão que levou perigo e um chute cruzado de Paulo Rangel, que o goleiro Redson desviou mandando a bola na trave.

A única estratégia da equipe de Léo Condé parecia ser o velho muricybol. Cruzamentos incessantes e repetitivos em direção à área do Independente, para cortes precisos de Dedé e Charles. 

Não se viu uma triangulação inteligente ou uma busca de infiltração na área à base de fintas. Longe disso. O melhor jogador bicolor, Nicolas, ficou preso à marcação do Galo e não conseguiu criar jogadas relevantes. E, como se sabe, quando Nicolas não aparece no jogo o PSC não tem alternativas de ataque.

Mesmo pressionado, o Independente achou espaços para incomodar. Joãozinho perdeu boa chance e Renatinho bateu de longe, assustando o goleiro Mota. A sensação era de que o time dirigido por Charles Guerreiro tinha plena noção da incapacidade criativa dos donos da casa.

Marcos Antonio tentou alguns lançamentos, mas logo se deixou dominar por um nervosismo inexplicável, chegando ao ponto de dar uma tesoura voadora por trás no lateral Daelson. A jogada já estava paralisada, o que não anula a agressão. O árbitro Gustavo Ramos Melo deixou passar sem advertir o volante.

Ele seria finalmente premiado com o amarelo em outro lance duro no meio-campo, mas minutos depois deu outro safanão no mesmo Daelson e não recebeu o segundo cartão amarelo. 

Depois do intervalo, já com Vinícius Leite no lugar de Leandro Lima, o Papão foi à frente na base do entusiasmo. Empurrado pelo torcedor, o time amiudou os cruzamentos sobre a área e o gol veio cedo, aos 6 minutos, após uma cobrança de falta que o goleiro Redson rebateu mal. Na confusão, Caíque tocou para as redes.

O gol poderia ter dado vida nova à equipe, mas o método do PSC não se modificou. As bolas continuaram sendo lançadas na área e a zaga do Galo ia afastando. Alan Calbergue substituiu a Marcos Antonio mas o ritmo não se alterou.

No Galo, Guerreiro tirou Joãozinho e botou Vinícius em campo. O time se manteve fechado, sem ser retrancado e buscava saídas em contragolpe. Aos 17’, Araújo cruzou na área e Dedé cabeceou no canto esquerdo. Mota salvou a lavoura espalmando para a defesa aliviar o lance.

Fazendinha substituiu a Araújo e o passe do Galo ganhou em precisão. Só não explorou melhor os espaços abertos na zaga do PSC porque Caça-Rato era peça improdutiva, tropeçando na bola e errando o tempo dos dribles.

O jogo foi se arrastando. Bruno Oliveira, improdutivo pela faixa direita, deu uma cotovelada em Vinícius junto à linha lateral, mas nenhum dos auxiliares do árbitro informou sobre a agressão.

Na última chance da partida, Vítor Oliveira cabeceou e a bola tocou no travessão. Não havia nenhum atacante para aproveitar o rebote e a zaga afastou a bola para longe da área.

No fim das contas, o placar agregado de 3 a 2 para o Independente foi inteiramente justo pela produção dos times nos 180 minutos. O time de Tucuruí vai disputar sua segunda decisão de campeonato estadual – a primeira foi em 2011, quando levantou o título –, enquanto o PSC terá dois jogos com o Bragantino decidindo o 3º lugar e vaga na Copa do Brasil.

Jogos da decisão serão realizados no Mangueirão

O presidente do Independente, Delei Santos, informou ontem na Curuzu que vai solicitar hoje à FPF que a primeira partida da final do Parazão seja realizada no estádio Jornalista Edgar Proença.
A justificativa técnica é a dificuldade de transporte devido ao acidente com a ponte da Alça Viária, em Moju. O motivo prático é a necessidade de garantir faturamento ao clube de Tucuruí, cujos jogos no Navegantão são deficitários.

Sampaoli acua o Corinthians, mas cai nos penais

O Santos tomou conta do jogo, teve a posse de bola e obrigou o goleiro Cássio a defesas miraculosas. Ainda assim, o retranqueiro Carille acabou levando a melhor sobre o inventivo Sampaoli e vai disputar mais uma final do Paulista, com a vitória na cobrança de penalidades (7 a 6).

Foi um baile tático e de movimentação dos santistas sobre o time corintiano, que, em certos momentos, comportou-se um time acanhado diante de um grande esquadrão. O placar de 1 a 0 não foi suficiente para garantir a classificação e obrigou a série extra. O futebol, definitivamente, não preza por justiça.





Comentários

Destaques no DOL